Kung-fu Sexual. Isso existe?!

Todos que ouvem falar de kung-fu sexual certamente imaginam em suas mentes, imediatamente, filmes asiáticos de heróis que voam mais do que lutam, como “O Tigre e o Dragão”, ou os antigos filmes celebrados do mestre Bruce Lee. Isso acontece porque são as referências quase exclusivas aos ocidentais quando o assunto é kung-fu.

O que poucos realmente sabem é que além de uma luta, o kung-fu é uma antiga prática que envolve meditação e amor.

Ensinamentos do Kung-fu Sexual

O kung-fu sexual ensina aos discípulos antigas técnicas chinesas que foram passadas através das gerações como um segredo por milênios. Recentemente, tais segredos foram revelados pelo mestre Mantak Chia, em seu livro “Os Segredos Taoistas do Amor”, proliferando uma tradição até então desconhecida no Ocidente.

Bem – isso foi ainda nos anos 1970, os anos do amor, do sexo, da não-violência. Agora a prática retomou força e vem sendo ensinado por mestres de todo o mundo como forma de retomar a potência e força sexual.

Kung-fu sexual é meditação e atitude espiritualizada

A prática possui uma visão espiritual profunda. Os praticantes de kung-fu sexual tomam a sexualidade e a espiritualidade com uma coisa única, e não duas forças opostas, como fazem crer muitas culturas religiosas. Nele estão lições do taoísmo.

O taoísmo é a segunda religião mais popular entre os chineses. Ela prega a simplicidade e dispensa a glória, o orgulho e a posse excessivas na vida para atingir um estado de serenidade. Mestres do kung-fu sexual acreditam que esse lado do taoísmo se aplica à saúde corporal e também à vitalidade sexual.

Recomendações desse kung-fu vêm diretamente do taoísmo… coisas como:

  • Masturbação como pratica funcional, em consonância com a respiração profunda e concentração mental
  • Prática do sexo com o objetivos de ter orgasmos secos, sem ejaculação ou desperdício do semen
  • A dissociação do orgasmo com a ejaculação
  • Equilíbrio da pratica sexual com o carinho, o espírito e o amor
  • Relações sexuais prolongadas, frequentes e com qualidade

A energia ‘chi’

A energia vital que permeia a todos e o universo é conhecida pelos taoistas como “chi”. Essa energia cria a vida e a acompanha, revitalizando e fazendo com que se renove constantemente. O “chi” flui através de nosso corpo pelos meridianos de energia.

Se você já foi a sessões de acupuntura ou é adepto de práticas e tradições ayuvérdica, provavelmente sabe do que se trata. Boa parte das práticas medicinais, meditativas e até marciais da Ásia estão embasadas no “chi” e sua passagem através dos meridianos. Os mais sensíveis e conscientes de seu próprio corpo podem sentir a circulação dessa energia com clareza.

Saúde através da energia sexual

Nesse aspecto, chineses consideram a energia sexual indispensável à longevidade e qualidade de vida humana. Segundo taoístas, a energia sexual é a única capaz de ser criada ou reproduzir-se – o restante do “chi” apenas passa através de nosso organismo.

O homem

Isso explica de forma interessante o alcance de orgasmos sem ejaculação. A energia sexual, na visão do kung-fu, fortalece o organismo e cria imunidade. Ao ejacular (inclusive a mulher, na visão taoista), o homem expulsa parte dessa energia de seu corpo, tornando-se mais vulnerável e mesmo mais mortal.

A mulher

A mulher mantém sua energia geralmente, mas segundo a filosofia, quando mantém relações com um homem que não pratica a retenção do sêmen, acaba tornando-se igualmente vulnerável e mortal.

Bem, três mil anos atrás, chineses já haviam chegado à conclusão de que o homem é capaz de orgasmos múltiplos, retendo sua ejaculação, inclusive. Ejaculação e orgasmo são dois processos distintos – e o kung-fu já sabia disso tudo.